buscar
´

Base de Alcântara deve trazer futuro espacial para o Brasil

Eduardo Bolsonaro será o novo embaixador nos Estados Unidos, mas antes de deixar a presidência da Comissão de Relações Exteriores, ele tentou acelerar o acordo de salvaguardas tecnológicas que envolve a exploração da Base de Alcântara com os EUA. Mas no fim acabou ficando para agosto de 2019.

Ciência
3 semanas atrás
Base de Alcântara deve trazer futuro espacial para o Brasil
Valter Campanato/Agência Brasil

Em 6 de agosto de 2019 foi realizada a segunda das duas audiências públicas acertadas em acordo com os líderes partidários.

O acordo entre Brasil e Estados Unidos

Durante audiência na Comissão de Relações Exteriores, realizada em 6 de agosto de 2019, o tenente-brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Junior Afirmou que há “diversos países” interessados em utilizar o Centro de Lançamento de Alcântara (MA). Um acordo com relação à exploração comercial da base já foi tentado em 2000, porém o congresso da época rejeitou os termos, alegando que fariam a soberania nacional do Brasil.

Em 28 de março de 2019, já havia sido realizada uma audiência sobre essa questão, e a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) ofertou ao ministro Marcos Pontes topo o apoio legislativos para que os lucros gerados pela arrecadação da União com o acordo do Brasil com o EUA para uso da Base de Alcântara (MA), possam ser investidos em tecnologia e inovação, componentes presentes no agronegócio, com o apoio do BNDES. O ministro Marcos Pontos, da Ciência e Tecnologia presente na audiência, afirmou que o acordo do Brasil com os EUA vai render US$ 3,5 bilhões por ano à União, o que representa 1% do mercado de lançamento de satélites no mundo.

Na última audiência do dia 6 de agosto de 2019, representantes do governo defenderam o acordo de salvaguardas tecnológicas envolvendo a base de Alcântara (MA) com os Estados Unidos em análise pela casa legislativa. Já deputados se dividiram, com a oposição questionando pontos do trato e a base de apoio reforçando a necessidade de sua aprovação.

O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB) e representante do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Carlos Moura, defendeu a aprovação pelo potencial econômico do mercado, que segundo o gestor envolve diversas atividades cotidianas, da operação de GPSs e informações meteorológicas até soluções necessárias ao agronegócio e às comunicações, como tecnologias de suporte à televisão e a serviços móveis.

Já o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) colocou dúvidas sobre os termos do acordo e questionou se o objetivo é ser “eternos importadores” e não desenvolver tecnologia nacional. Um dos problemas, conforme o parlamentar, seria a vedação ao desenvolvimento de veículos lançadores. Outro, seriam restrições na celebração de acordos com outros países, situação na qual o país deveria manter as mesmas condições celebradas com os EUA.
Para o deputado Coronel Armando (PSL-SC), não há impactos negativos à soberania nacional com o acordo. Ele defendeu a proposta reforçando o argumento dos supostos benefícios econômicos advindos da exploração de serviços para o país e para o estado onde está sediada a base de Alcântara. Contudo, ele reconheceu que há itens da redação a serem melhor discutidas, embora não tenha detalhado quais.
A preocupação com os impactos sociais, especialmente sobre as comunidades quilombolas da região, não teve tanto teor nesta audiência, mas foi assunto na Comissão de Direitos Humanos e Minorias.

Decisão final

O acordo precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional para ter efetividade. A proposta é analisada no momento pela Câmara dos Deputados em três comissões. Caso tenha a votação favorável dos parlamentares na casa, deverá ser apreciada pelo Senado Federal.

Eduardo Bolsonaro. Foto: Reprodução/Twitter
Eduardo Bolsonaro. Foto: Reprodução/Twitter

Sobre a Base de Alcântara

A Base de Alcântara é a dominação do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), que se destina-se ao lançamento de foguetes da Força Aérea Brasileira, e é também a base de testes do Veículo Lançador de Satélites (VLS). A base é considerada um dos melhores locais no mundo para o lançamento de foguetes, por estar próxima à linha do Equador e, consequentemente, possibilitar lançamento com menos combustível.

O CLA está situado na latitude 2°18’ sul, e tinha originalmente uma área de 620 km², no município de Alcântara, a 32 km de São Luís, capital do estado brasileiro do Maranhão.

A base se destaca por sua proximidade com a linha do equador, pois a velocidade de rotação da Terra na altura do Equador, auxilia o impulso dos lançadores e assim favorece a economia do propelente utilizado nos foguetes sendo estimada uma economia em até 30 % de combustível.

Além disso, a disposição da península de Alcântara permite lançamentos em todos os tipos de órbita, desde as equatoriais (em faixas horizontais) às polares (em faixas verticais), e a segurança das áreas de impacto do mar que foguetes de vários estágios necessitam ter.

A baixa densidade demográfica do local também possibilita a existência de diversos sítios para foguetes diferentes. E o clima estável, o regime de chuvas bem definido e os ventos em limites aceitáveis, favorece o lançamento de foguetes em todos os meses do ano.

Já é história: aconteceu a primeira caminhada 100% feminina no espaço
Duas astronautas da Agência Espacial Norte-Americana fizeram história. Christina Koch e Jessica Meir participaram da primeira Atividade Extra-Veicular (EVA, na sigla em inglês)...
A incrível ponte de Da Vinci finalmente saiu do papel
Quando falamos em Leonardo Da Vinci, rapidamente nos recordamos de sua pintura da Monalisa. Porém, Da Vinci foi muito mais do que apenas o pintor do quadro mais famoso do mundo,...
Entenda porque cientistas estão pintando vacas como se fossem zebras
Os animais sempre são alvo das pesquisas científicas, algumas são muito curiosas, como é o caso destes pesquisadores que estão pintando vacas como se fossem...
Cérebro reanimado é um passo a mais para a imortalidade
Cientistas da Universidade de Yale, nos Estados Unidos , através de pesquisas realizadas com suínos , desafiaram o entendimento do que seria a...
Segundo a ONU, oceanos ficarão mais quentes e ácidos
No dia 25 de setembro de 2019 foi divulgado o relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) das Nações Unidas, o fato é que os resultados obtidos...

O Fusne é um site para quem ama internet, nós somos especializados em testar apps e tudo mais que envolve tecnologia. O que você vai encontrar por aqui é escrito por humanos, que vivem fazendo compras online, assim como você, então entende as suas dificuldades e felicidades nessas horas. O material do Fusne é testado várias e várias vezes pela equipe...